Prisão nos EUA receberá cem prisioneiros de Guantánamo

A Casa Branca deve anunciar nesta terça-feira a transferência de cerca de cem prisioneiros do centro de detenção de Guantánamo para uma penitenciária em Illinois, segundo informou a imprensa americana. As autoridades devem confirmar que o governo federal deverá comprar o Centro Correcional Thomson, em Illinois, segundo os jornais, para onde serão enviados os suspeitos de cometer atos de terrorismo.

BBC Brasil |

Apenas dois dias depois de tomar posse, o presidente americano Barack Obama prometeu fechar o Campo de Guantánamo dentro de um ano, mas no mês passado, ele já havia anunciado que o prazo seria ampliado.

O governo ainda não decidiu o que vai fazer com os cerca de 215 prisioneiros que permanecem detidos em Guantánamo.

A penitenciária de Thomson, praticamente vazia, a cerca de 240 km de Chicago, foi oferecida como alternativa pelo senador de Illinois Richard Durbin.

O senador Durbin e o governador Pat Quinn devem ser informados da decisão pela casa Branca nesta terça-feira, segundo informou a agência de notícias Associated Press.

Passo à frente
A prisão Thomson, construída em 2001, tem capacidade para 1.600 detentos, mas por conta de restrições orçamentárias, só abriga 200.

Ela deverá ser vendida para o Departamento Federal de Prisões, e parte dela deverá ser cedida ao Departamento de Defesa, afirma a imprensa.

Os prisioneiros federais ficarão detidos nas instalações, além dos ex-prisioneiros de Guantánamo, disseram as autoridades.

"O fechamento do centro de detenção em Guantanamo é essencial para proteger nossa segurança nacional e ajudar nossas tropas ao remover uma ferramenta mortal de recrutamento das mãos da rede al Qaeda", disse uma autoridade americana em um comunicado.

"O anúncio (de terça-feira) é um importante passo à frente enquanto trabalhamos para alcançar nossos objetivos de segurança nacional."
Entre os prisioneiros que permanecem em Guantánamo, a expectativa é de que parte deles seja enviada a outros países, enquanto outros poderão ser julgados em tribunais militares ou em cortes americanas.

Mas a questão do que fazer com os prisioneiros considerados perigosos, mas que por razões legais não poderiam ser processados e condenados em cortes americanas, permanece sem solução.

Prisões no Colorado, Montana e em outras cidades de Illinois já expressaram interesse em receber prisioneiros de Guantánamo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG