Prisão de Abu Ghraib reabre após reforma

A prisão de Abu Ghraib, conhecida pelas torturas a que foram submetidos prisioneiros iraquianos cometidas por militares norte-americanos em 2004, reabriu suas portas após uma mudança de nome e uma grande reforma de suas instalações, indicou neste domingo o Ministério iraquiano da Justiça.

AFP |

"A 'prisão central de Bagdá' foi reaberta no sábado", indicou à AFP o vice-ministro da Justiça, Buchu Dazai.

A prisão de Abu Ghraib teve que fechar suas portas em 2006, dois anos depois de um escândalo que teve a participação de militares norte-americanos. Agora é administrada pelas autoridades iraquianas. Em fevereiro de 2008, o governo iraquiano decidiu reformá-la.

A reabertura de Abu Ghraib "aliviará a superlotação carcerária" , acrescentou Dazai, antes de indicar que 400 presos já foram transferidos para a prisão.

Agora é uma "prisão segundo as normas internacionais", que pode abrigar entre 12.000 e 15.000 presos, acrescentou.

A nova Abu Ghraib conta com um espaço para exercícios físicos, uma sala de informática, unidades médicas, um espaço destinado às famílias dos reclusos e uma área para crianças.

Em 2004, fotografias que mostravam presos iraquianos humilhados por soldados norte-americanos chocaram o mundo, como aquelas de presos nus empilhados uns sobre os outros ou obrigados a desfilar diante de seus guardas.

Outra recordação dolorosa de Abu Ghraib é a das torturas e execuções sumárias promovidas pelo regime de Saddam Hussein, nas quais cerca de 4.000 pessoas foram mortas.

Essa prisão foi construída por empresas britânicas a pedido do governo iraquiano nos anos 60. Está localizada 25 km a oeste de Bagdá. O complexo penitenciário cobre 10 km2.

ak-iba/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG