Príncipe herdeiro japonês visita Brasil para celebrar 100 anos da imigração

Brasília, 17 jun (EFE).- O príncipe herdeiro do Japão, Naruhito, iniciará amanhã uma visita oficial de oito dias ao Brasil, que servirá para celebrar o primeiro centenário da imigração japonesa ao país.

EFE |

Durante sua estadia no Brasil, Naruhito visitará as cidades de Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e São Paulo, que juntas concentram cerca de 1,5 milhão de japoneses.

As atividades oficiais do herdeiro do trono do Japão começarão amanhã em Brasília, onde será recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.

Naruhito também visitará as sedes das câmaras de Deputados e do Senado e se reunirá com a comunidade japonesa de Brasília, em sua maioria formada por camponeses que chegaram ao Distrito Federal encorajados pelas perspectivas de futuro que, há cinco décadas, eram oferecidas com a construção da capital.

À noite, Lula oferecerá um jantar de gala em honra do príncipe japonês, que terminará com um espetáculo de fogos de artifício no Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

O príncipe Naruhito chegará ao Brasil sem sua esposa Masako, que por recomendações médicas teve que permanecer no Japão.

Como é comum na reservada Casa Imperial, a agenda do príncipe durante sua visita não foi precisada e apenas hoje suas atividades em Brasília foram divulgadas.

Segundo fontes oficiais brasileiras, a reunião com Lula servirá para apresentar uma moeda alusiva ao centenário da chegada dos primeiros japoneses ao Brasil, e prestar uma homenagem às famílias desses pioneiros e às personalidades que, durante um século, contribuíram para estreitar as relações entre os dois países.

A cidade de São Paulo, onde Naruhito estará nos próximos sábado e domingo, é o maior reduto da cultura japonesa no Brasil.

Em São Paulo, são publicados diariamente dois jornais em japonês e existem quase mil restaurantes nipônicos e 450 academias onde são ensinadas a língua, a arte e a história desse país oriental.

Além disso, São Paulo tem quase uma centena de centros religiosos xintoístas e budistas.

Como ponto de partida da imigração japonesa ao Brasil, considera-se a chegada ao porto de Santos da embarcação Kasado-maru, que atracou em 18 de junho de 1908 e levava a bordo 781 japoneses contratados como mão-de-obra barata para trabalhar nas prósperas fazendas de café do estado de São Paulo.

A chegada de imigrantes continuou sem pausa até o começo da Segunda Guerra Mundial e propiciou um forte fluxo de brasileiros descendentes de japoneses para o Japão.

A comunidade brasileira no Japão tem atualmente cerca 320 mil pessoas que a cada ano enviam ao Brasil remessas que, segundo o Banco Central, superam US$ 2 bilhões. EFE ed/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG