Príncipe, que já esteve no país asiático para missão de 10 semanas há 4 anos, ganhou na 4ª prêmio de melhor copiloto artilheiro

O príncipe Harry, rebatizado "Top Gun" por alguns veículos da imprensa por conta de sua formação em helicópteros Apache, poderá voltar a combater no Afeganistão, quatro anos depois de uma primeira missão, indicou nesta quinta-feira o Ministério britânico da Defesa.

Saiba mais: Príncipe Harry ganha título de 'Melhor copiloto artilheiro'

Príncipe Harry faz treinamento militar (foto de arquivo)
Getty Images
Príncipe Harry faz treinamento militar (foto de arquivo)
"Não comentamos os deslocamentos individuais", declarou um porta-voz do ministério à AFP. "Mas na ordem normal das coisas, ele poderá ser deslocado em oito a doze meses", acrescentou, indicando que o príncipe deve ainda adquirir um complemento de formação.

Harry, de 27 anos, terceiro na linha sucessória ao trono britânico, recebeu na quarta-feira à noite o prêmio de melhor copiloto artilheiro ao final de um programa intensivo de treinamento no Reino Unido e nos Estados Unidos, indicou o Palácio Saint James.

Essa premiação rendeu a ele o apelido "Top Gun" em alguns jornais britânicos. Durante sua formação de 18 meses, o filho mais novo do príncipe Charles e da princesa Diana foi principalmente à Califórnia e ao Arizona para aprender a pilotar helicópteros em situação de combate em zonas montanhosas e desérticas.

O príncipe manifestou em diversas ocasiões sua vontade de retornar ao Afeganistão, onde já efetuou uma primeira missão de dez semanas em 2007-2008, encurtada por razões de segurança após a divulgação de sua presença pela imprensa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.