Príncipe Edward é criticado por supostamente bater em cachorro

Londres, 28 dez (EFE).- O príncipe Edward da Inglaterra foi criticado por grupos de defesa dos direitos dos animais após a divulgação de fotos nas quais o filho mais novo da rainha Elizabeth II aparece supostamente batendo em um cachorro.

EFE |

Várias imagens publicadas hoje pela imprensa britânica mostram Edward, de 44 anos e conde de Wessex, com roupa de caça, uma escopeta debaixo do braço e agitando um pedaço de pau perto da cabeça de um cachorro que estava brigando com outro cão.

Aparentemente, os animais disputavam um faisão morto durante uma caçada no sítio de Sandringham, sudeste da Inglaterra, onde a família real tradicionalmente passa o Natal.

A imprensa britânica informa que também participaram da caçada o duque de Edimburgo, príncipe Philip, marido de Elizabeth II; seu segundo filho, o príncipe Andrew, duque de York; e o príncipe William, filho mais velho de Charles da Inglaterra, herdeiro ao trono.

Barry Hugill, porta-voz da liga Contra os Esportes Cruéis, afirmou que Edward deu um "exemplo horrível", enquanto Andrew Tyler, diretor do grupo Ajuda Animal, disse que "é crime causar sofrimento a um animal de forma desnecessária".

"Bater em um cachorro é um ato patético, covarde e impiedoso.

Parece que ele (o príncipe) tinha uma raiva passageira real", acrescentou Tyler.

No Palácio de Buckingham, residência oficial de Elizabeth II em Londres, um porta-voz disse que "não ficou claro" que o príncipe estivesse agredindo o cachorro, apesar de as "fotos o mostrarem agitando uma vara".

"Não podemos confirmar, no entanto, se bateu no cachorro", acrescentou o porta-voz.

Não é a primeira vez que a família real britânica causa irritação nos grupos de defesa dos animais, já que a própria rainha foi fotografada há oito anos em Sandringham torcendo o pescoço de um faisão.

No ano passado, a Polícia interrogou o príncipe Harry, irmão de William, em relação com a caça de dois gaviões pertencentes a uma espécie protegida no Reino Unido. EFE pa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG