Principal partido da oposição de Mianmar rejeita Constituição

Bangcoc, 28 abr (EFE).- A Liga Nacional para a Democracia (LND) partido da Nobel da Paz Aung San Suu Kyi e principal da oposição de Mianmar, abriu hoje seu congresso nacional rejeitando da Constituição aprovada no ano passado e que a Junta Militar que governa o país desde 1962 aplicará nas eleições previstas para 2010.

EFE |

"O objetivo principal da Constituição é perpetuar o regime militar no país e isso é inaceitável", afirmou o presidente da LND, Aung Shwe, no discurso inaugural na sede do partido, em Yangun, antiga capital e maior cidade de Mianmar, segundo informações da dissidência em Bangcoc.

O partido encontra-se dividido entre os que se opõem a participar das eleições, por considerarem-na uma "farsa das autoridades" e os que defendem que as elas, ainda assim, são uma oportunidade para participar do Governo.

A última vez que Mianmar teve eleições foi em 1990 e, mesmo assim, a Junta Militar desacatou o resultado em que a LND venceu com mais de 82% dos votos.

Naquela ocasião, como atualmente, a líder do partido, Suu Kyi, se encontrava cumprindo prisão domiciliar por pedir reformas democráticas.

Os membros do LND, que só realizou quatro congressos nacionais desde 1990, sofreram uma perseguição implacável por parte das autoridades desde que derrotaram os generais nas urnas.

Segundo a Anistia Internacional, as prisões birmanesas têm cerca de 2.200 presos políticos, embora o Governo os defina como criminosos comuns. EFE grc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG