Principal opositor diz que eleição no Afeganistão foi manipulada

Por Paul Tait e Sayed Salahuddin CABUL (Reuters) - O principal opositor do presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, na eleição presidencial da semana passada disse neste domingo ter evidência de que a votação foi amplamente manipulada.

Reuters |

Com a contagem dos votos em andamento após a eleição de quinta-feira, o país ainda espera de um resultado oficial, embora o início do mês de Ramadã e uma relativa acalmada na violência tenha ajudado a aliviar as tensões.

Uma eleição com um resultado respeitado pelos candidatos e seus partidários é crucial para o país e para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que colocou a estabilidade do Afeganistão como sua prioridade na área de política externa.

Neste domingo, o antigo ministro do exterior Abdullah Abdullah, cuja candidatura pode levar as eleições a um segundo turno, afirmou ter evidências que a eleição foi manipulada.

"Os relatórios iniciais que nós recebemos são alarmantes", disse. "Deve ter havido milhares de violações em todo o país, nenhuma dúvida a respeito disso."

Em um comunicado separado, o grupo nacional de observação das eleições afirmou estar lidando com um grande número de reclamações, mas que não há nenhum sinal de que estas afetariam diretamente o resultado das eleições.

Duas pesquisas realizadas antes das eleições previram que Karzai ganharia, mas não com margem suficiente para evitar um segundo turno contra Abdullah.

A Comissão para Reclamações Eleitorais (ECC, na sigla em inglês) disse ter recebido 225 reclamações, das quais 35 foram classificadas como prioritárias.

Milhares de pessoas enfrentaram ameaças de violência do Taliban para votar, no que é apenas a segunda eleição presidencial do país.

Com os dois lados alegando vitória, o enviado de Washington à região, Richard Holbrooke, disse que tanto Karzai quanto Abdullah prometeram respeitar o resultado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG