Principais medidas anunciadas pela UE frente à crise financeira

Os ministros das Finanças da União Européia (UE) estabeleceram nesta terça-feira em Luxemburgo uma série de medidas e princípios de ação para pôr fim à crise financeira e restabelecer a confiança dos mercados.

AFP |

Estas são as decisões concretas anunciadas pela UE:

- Para assegurar uma boa proteção dos cidadãos em toda a UE, decidiu-se elevar a garantia mínima dos depósitos bancários para 50.000 euros, fazendo constar que vários Estados-membros estavam determinados a aumentar essa garantia para 100.000 euros.

- Para colocar as empresas européias em pé de igualdade com suas colegas norte-americanos em matéria contábil, aquelas foram autorizadas a transferir os ativos do livro contábil, onde são avaliadas a seu valor de mercado, para o grupo bancário, onde são mantidas até amadurecerem.

- O imperativo da UE é proteger os correntistas e não os dirigentes das empresas financeiras, em particular aqueles que assumiram riscos excessivos ou tomaram decisões erradas.

Por isso, quando as intervenções públicas forem necessárias, serão feitas pensando no interesse do contribuinte e farão que os responsáveis pelos problemas encontrados sofram as conseqüências.

- São estabelecidos os princípios que devem nortear as remunerações dos dirigentes, em particular no setor financeiro. Essas remunerações devem ser feitas de maneira transparente, vinculadas ao desempenho real, incluindo os chamados "pára-quedas dourados" (indenizações milionárias que os diretores de bancos recebem pela demissão). As remunerações não devem estimular a tomada de risco ou o curto prazo.

bur-mar/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG