Principais casos de espionagem entre EUA e Rússia

Espionagem entre Rússia e Estados Unidos não é novidade. Veja abaixo os principais casos desde o fim da União Soviétia.

AFP |

A detenção de dez pessoas suspeitas de espionagem com ligação ao serviço de inteligência russo , na segunda-feira, nos Estados Unidos, soma-se a uma lista de casos que passaram nos tribunais envolvendo os dois países desde o fim do regime comunista em 1991.

1994 - Estados Unidos:

Aldrich Ames, ex-analista que trabalhou durante 31 anos para a Agência Central de Inteligência americana (CIA), é condenado a prisão perpétua pela venda de informações a Moscou por 2,5 milhões de dólares. Por sua traição, teriam morrido 12 agentes duplos que trabalhavam para os Estados Unidos .

1996-1997 - Estados Unidos:

Harold James Nicholson, agente da CIA do mais alto escalão é acusado de espionagem e condenado em junho de 1997 a 23 anos de prisão nos Estados Unidos por ter vendido informações aos russos.

1997 - Rússia:

Moise Finkel, cidadão russo, é condenado em Moscou a 12 anos de prisão por ter entregado aos Estados Unidos informações sobre os submarinos russos.

1998 - Estados Unidos:

David Sheldon Boone, ex-militar americano que trabalhava para a Agência de Segurança Nacional (NSA), é acusado em novembro de espionagem e de complô contra os Estados Unidos por suas atividades em benefício da KGB e da sua sucessora FSB.

1999 - Estados Unidos:

Stanislav Goussev, segundo secretário da embaixada da Rússia em Washington, é preso em dezembro nas imediações do Departamento de Estado americano e acusado de espionagem antes de ser expulso.

2000 - Rússia:

Edmond Pope, ex-oficial dos serviços secretos do Exército americano é acusado em abril pela justiça russa de espionagem e divulgação de segredos de Estado. É condenado a 20 anos de reclusão e perdoado pelo presidente russo Vladimir Putin.

2000 - Estados Unidos:

George Trofimoff, oficial aposentado dos serviços secretos do Exército americano é preso em junho na Flórida por espionagem em favor da ex-URSS. É condenado à prisão perpétua em setembro de 2001.

2001 - Estados Unidos:

Robert Hanssen, alto dirigente da contraespionagem americana - o birô Federal de Investigações (FBI) - é acusado em fevereiro de espionagem em favor da Rússia e condenado à prisão perpétua.

2002 - Rússia:

Oleg Kaluguin, general da KGB, exilado nos Estados Unidos desde 1995, é condenado em junho à revelia, por alta traição, a 15 anos de reclusão por um tribunal de Moscou. Dirigiu nos EUA a rede de espiões soviéticos durante a Guerra Fria.

Alexander Sypatchev, coronel dos serviços de inteligência russos, é condenado em novembro a oito anos de prisão por um tribunal militar de Moscou por ter tentado transmitir à CIA segredos de Estado.

2003 - Rússia:

Alexander Zaporojski, ex-agente da inteligência russa, é condenado em junho a 18 anos de prisão por espionagem em favor de Washington. Entregou à CIA informações sobre as atividades dos serviços secretos russos no exterior.

2004 - Rússia:

O russo Igor Sutiaguin acusado de espionagem a favor dos Estados Unidos e condenado em abril a 15 anos de prisão por ter transmitido informações sobre o sistema de defesa nuclear russo.

2010 - Estados Unidos:

Guennadi Sipatchev é condenado em maio a 4 anos de prisão por entregar ao Departamento de Defesa americano cartografia que permitiria aos Estados Unidos dirigir seus mísseis contra bases militares na Rússia.

    Leia tudo sobre: RússiaEstados UnidosEspionagem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG