Principais candidatos pedem voto nas eleições de Portugal

Lisboa, 27 set (EFE).- Os dois principais líderes de Portugal nas eleições de hoje, o primeiro-ministro socialista José Sócrates e a conservadora Manuela Ferreira Leite, pediram que os cidadãos votem, no dia em que se decide quem liderará o próximo Executivo.

EFE |

"É preciso votar e participar de uma escolha muito importante para os próximos anos, nos quais o país enfrenta sérios desafios", disse Sócrates, favorito nas pesquisas, que, no entanto, dão por perdida a maioria absoluta que conquistou no pleito anterior, em 2005.

Manuela, dirigente do Partido Social Democrata, pediu participação, mas rejeitou, diante de perguntas dos jornalistas, que este seja o dia mais importante de sua carreira política.

"O mais importante é o que fazemos todos os dias", disse a ex-ministra de Finanças, que assumiu a direção de seu partido no ano passado e a quem vários correligionários se mostram dispostos a afastá-la se, como preveem as enquetes, o PSD não obtiver um bom resultado.

Manuela ganhou as eleições europeias de junho, com 31,7% dos votos, e agora as mais recentes pesquisas lhe concedem um ponto a menos, frente aos mais de 38% aos socialistas.

Os dirigentes dos grandes partidos portugueses que se revezaram no poder durante mais de três décadas, após a instauração da democracia com a revolução de 25 de abril de 1974, são de novo as principais opções para formar Governo.

Sócrates, que evitou nos últimos dias prever um resultado, diante do aparente temor de que aumente uma abstenção que podia prejudicá-lo, insistiu hoje na importância de ir às urnas e se declarou convencido de que os portugueses estão "muito motivados" para votar.

Portugal "está consciente" da importância desta votação, ressaltou, após proclamar que hoje é "o dia do povo".

Os dois políticos votaram quase na mesma hora em diferentes colégios eleitorais de Lisboa, onde a imprensa observava maior ida às urnas que nas europeias de junho, quando a abstenção superou 43% e o socialismo governante só conseguiu 26,5% dos votos.

Nas eleições legislativas de hoje, cujas projeções de resultados serão divulgadas após o fechamento dos colégios, às 20h (16h de Brasília), participam 9,5 milhões de portugueses que renovarão o Parlamento e decidirão, com isso, a formação do próximo Governo. EFE ecs/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG