Primo do ebola é achado em morcegos de Uganda

WASHINGTON (Reuters) - Milhares de morcegos de uma caverna de Uganda estão contaminados com o vírus marburg, um primo do vírus ebola, disseram pesquisadores na sexta-feira. Um estudo de Pierre Rollin e seus colegas do Departamento de Patógenos Especiais do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA encontrou o vírus vivo em 5 por cento dos morcegos examinados na caverna, onde mineiros foram contaminados com o marburg em 2007.

Reuters |

"Em artigo na revista PLoS Pathogens, da Biblioteca Pública de Ciências dos EUA, eles estimaram que haja cerca de 5.000 morcegos da espécie "R. aegyptiacus" contaminados, em uma população total de 100 mil animais.

"Claramente, esses morcegos podem servir como importante fonte de vírus com potencial para iniciar uma epidemia humana, e as implicações para a saúde públicas são dramáticas", escreveram os pesquisadores.

Há muito os cientistas suspeitam que os morcegos são hospedeiros naturais dos vírus ebola e marburg --ambos letais e da mesma família. O ebola pode matar entre 50 e 90 por cento das vítimas, e o marburg é menos letal.

Um hospedeiro natural é um animal que porta e transmite uma infecção, mas sem adoecer.

A equipe de Rollin examinou o sangue dos morcegos na gigantesca caverna, onde um mineiro morreu de marburg em 2007.

As amostras virais dos mineiros doentes e dos morcegos eram geneticamente semelhantes, segundo os cientistas. "Esses dados indicam que morcegos frugívoros egípcios comuns podem representar um importante hospedeiro natural e uma fonte do vírus marburg com potencial vazamento para os humanos", escreveram.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG