Primeiros observadores da UE chegam à Geórgia

Tbilisi, 23 set (EFE).- Os primeiros observadores da União Européia (UE) chegaram hoje à Geórgia para assumir o controle da zona de segurança que separa o território administrado por Tbilisi das regiões separatistas da Abkházia e da Ossétia do Sul.

EFE |

"Esperamos que os demais observadores cheguem à Geórgia antes que a semana termine", disse à Agência Efe o estoniano Yuri Laars, porta-voz da missão de observação civil da UE.

Um avião saindo da Itália aterrissou em Tbilisi com 33 observadores italianos, que junto a outros 22 Estados-membros contribuirão com a missão européia.

Os observadores italianos serão destinados ao estratégico porto georgiano de Poti, no mar Negro, cujas instalações militares foram destruídas pelas tropas russas.

"Os observadores cumprirão sua missão de acordo com o estipulado com a Rússia", assinalou Laars.

O chefe dos observadores, o alemão Hansjörg Haver, assegurou em sua chegada a Tbilisi que o número de integrantes da missão pode chegar a 350, contando também com membros administrativos e especialistas em logística.

Os observadores serão desdobrados na capital, Tbilisi, no distrito de Gori, próximo da Ossétia do Sul, em Zugdidi, limítrofe com a Abkházia, além de Poti.

O líder da Abkházia, Serguei Bagapsh, rejeitou hoje terminantemente a possibilidade de que observadores militares da UE possam entrar no território dessa região separatista.

"Os observadores militares devem ficar lá onde existe uma ameaça militar, ou seja, na Geórgia. Na Abkházia não existe essa necessidade", disse.

Os soldados russos já abandonaram há dez dias o oeste da Geórgia, em particular o porto de Poti e o distrito de Senaki, limítrofe com a Abkházia. EFE io/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG