Primeiros fósseis de tigres dentes-de-cimitarra descobertos na Venezuela

Os restos fósseis de seis tigres dente-de-cimitarra, animal extinto há mais de 500 mil anos, fazem parte de uma jazida fóssil encontrada na Venezuela e que seria a mais importante descoberta palentológica das últimas seis décadas na América do Sul, explicou Ascanio Rincón, do Instituto Venezuelano de Pesquisas Científicas (Ivic).

AFP |

Além dos restos dos tigres dente-de-cimitarra, foram identificados na escavação fósseis de panteras, lobos, condores, patos e cavalos, entre outras espécies.

O especialista acredita que os fósseis descobertos têm cerca de 1,8 milhão de anos.

O sítio foi descoberto em julho de 2006 por uma equipe de exploração da estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA), que realizava escavações no Estado Monagas, 400 km ao sudeste de Caracas.

Para Rincón, a descoberta mais importante foi um crânio completo de um tigre dente-de-cimitarra, um animal de que não havia registro na América do Sul, uma vez é se trata de um felino originário da África.

"Para nós isso abre uma janela para o passado", acrescentou.

Com esta descoberta, constata-se que o tigre dente-de-cimirrata conviveu num mesmo hábitat com o tigre-dente-de sabre, do qual foram localizados restos na América do Norte e no extremo austral do continente.

cd/bl/cn/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG