Primeiro-ministro turco diz que seu partido se defenderá de acusações

Ancara, 1 abr (EFE).- O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, disse hoje que seus correligionários defenderão de forma tranqüila e responsável o governante Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) no processo aberto pelo Tribunal Constitucional para julgar sua legalidade.

EFE |

"Convocamos nossa gente a não dar nenhuma oportunidade às provocações dos mercadores do medo. Desejamos e esperamos que a justiça, a democracia e a Turquia triunfem no final do processo", disse Erdogan ao grupo parlamentar do AKP.

"Nosso sistema democrático e judicial sairá fortalecido deste teste", afirmou o chefe de Governo.

"Não pode haver uma diferença entre o Estado e a população.

Trabalhamos para o bem do povo. O processo do Tribunal (Constitucional) foi iniciado. Não é um assunto pessoal. É um assunto da Turquia, um assunto do futuro de nosso povo", disse Erdogan.

O Tribunal Constitucional da Turquia decidiu ontem realizar uma audiência sobre o processo de ilegalização do governante AKP, após solicitação, em 14 de março, do Procurador Geral do Estado Abdurrahman Yalçinkaya.

O Procurador pede a ilegalização do AKP e a inabilitação política de 70 de seus membros, incluindo o primeiro-ministro Erdogan, com base no argumento de que o partido se transformou em um núcleo de atividades contra o laicismo. EFE dt/rr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG