Primeiro-ministro tcheco se reúne com Putin para resolver crise do gás

Praga, 9 jan (EFE).- O atual presidente do Conselho Europeu, o primeiro-ministro tcheco, Mirek Topolanek, se reunirá amanhã em Moscou com o chefe de Estado russo, Vladimir Putin, à espera de que a Ucrânia aprove um acordo definitivo sobre o reatamento da provisão de gás russo, segundo informou hoje a agência tcheca CTK.

EFE |

A Ucrânia ainda não assinou o acordo sobre a comissão de observadores que devem supervisionar o trânsito do gás pelos gasodutos ucranianos.

"Fechar hoje o acordo sobre o funcionamento da missão de observadores, que era condição para a renovação das provisões de gás da Rússia, não era muito realista", disse o ministro de Energia e Comércio tcheco, Martin Riman, à "CTK".

Hoje, Topolanek se reuniu em Kiev com o presidente ucraniano, Viktor Yushchenko, e com a primeira-ministra, Yulia Tymoshenko.

Riman informou que as autoridades ucranianas ainda não deram seu respaldo para que um representante russo participe da equipe de observadores.

A aprovação por parte da Ucrânia desta condição, imposta pelo consórcio russo Gazprom, seria "um grande êxito", disse o ministro.

Os observadores deveriam fiscalizar o fluxo do gás em oito pontos de quebra importantes, o que foi, na quinta-feira à noite, aceito pela parte russa, anunciou Topolanek, após conversar por telefone com Putin.

A Gazprom mandou uma carta aos representantes da SPP Transgas, distribuidora eslovaca, e da tcheca RWE Transgas, para que fizessem parte desta comissão, explicou em Bratislava o diretor-geral da entidade, Bernd Wagner.

A comissão também deveria ser integrada por representantes da Gazprom, da distribuidora de gás ucraniana Naftogaz, da Comissão Européia (CE, órgão executivo da União Européia) e de outras empresas energéticas da UE. EFE gm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG