Primeiro-ministro tailandês diz que renuncia só se moção de censura prosperar

Bangcoc, 22 jun (EFE).- O primeiro-ministro da Tailândia, Samak Sundaravej, reiterou hoje que não cederá perante os manifestantes que há quase um mês pedem sua renúncia, e que só deixa o cargo se a moção de censura da oposição no Parlamento prosperar.

EFE |

"Pedir que renuncie carece de fundamento", disse Sundaravej em discurso transmitido pela televisão enquanto várias centenas de manifestantes continuavam com os protestos em torno da sede do Governo em Bangcoc.

A oposição, liderada pelo Partido Democrata, deve a partir da próxima segunda-feira defender no Parlamento a moção de censura contra Sundaravej, por considerar que a legenda que lidera é uma réplica da ilegalizada Thai Rak Thai (Tailandeses Amam a Tailândia) do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

O partido Thai Rak Thai foi desmantelado em 2007 por ordem do Tribunal Supremo por fraude eleitoral, e seus principais dirigentes, incluindo Shinawatra, foram inabilitados para participar da política durante cinco anos.

A moção de censura tem poucas probabilidades de prosperar visto que a coalizão governamental liderada pelo Partido do Poder do Povo (PPP) de Sundarajev, controla mais de dois terços das 480 cadeiras do Parlamento.

Em seu discurso, o primeiro-ministro afirmou que caso a moção de censura siga adiante, apresentará sua renúncia. EFE fmg/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG