Bangcoc, 21 dez (EFE).- O primeiro-ministro da Tailândia, Abhisit Vejjajiva, defendeu hoje a composição de seu Governo, que amanhã assumirá os cargos, e disse que, embora não apresente uma imagem impressionante, é necessário para a estabilidade, no momento em que o país atravessa uma profunda crise.

"Formei este Gabinete com a estabilidade política presente, de modo que possa começar a trabalhar imediatamente", disse Vejjajiva, de 44 anos e do Partido Democrata, que foi eleito pelo Parlamento na segunda-feira passada.

Vejjajiva garantiu à população que levará em conta suas preocupações e que vigiará que todos os membros do Executivo cumpram seu trabalho para tirar o país da crise.

A comunidade empresarial tailandesa expressou seu mal-estar pela escolha Pornthiwa Nakasai e Charnchai Chairungruang para as pastas de Comércio e Indústria, respectivamente.

Parte do mundo acadêmico criticou a escolha de ministros sem qualificações e conhecimentos para desempenhar as funções para as quais foram escolhidos, e destacou a presença no Executivo de deputados que o Partido Democrata queria expulsar do poder há apenas um mês.

Na arena política, inclusive membros do próprio Partido Democrata condenaram a escolha de Kasit Piromya para o Ministério de Assuntos Exteriores, porque apoiou publicamente as mobilizações antigovernamentais na Tailândia de maio a dezembro, até que caiu o anterior Governo.

O novo primeiro-ministro da Tailândia prometeu, em sua primeira mensagem à nação, após jurar o cargo na quarta-feira passada, solucionar a crise política do país e governar para todos os tailandeses.

Vejjajiva, formado em Oxford, também disse que se ocuparia pessoalmente de reativar a economia e ajudar o país a enfrentar a crise financeira internacional.

A Tailândia passa por uma profunda crise, resultado da vitória nas eleições de 2007 dos mesmos políticos que os militares expulsaram do Governo por corrupção no levante de 2006. EFE tai/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.