Primeiro-ministro tailandês aceita negociar com líderes dos protestos

Bangcoc, 28 mar (EFE).- O primeiro-ministro da Tailândia, Abhisit Vejjajiva, aceitou hoje o pedido dos líderes dos camisas vermelhas, como são conhecidos os seguidores do ex-líder Thaksin Shinawatra, de negociar para encontrar uma saída para a crise no país.

EFE |

O secretário-geral do escritório do primeiro-ministro, Korbsak Sabhavasu, foi designado para levar a cabo as conversas preliminares em Bangcoc, segundo fontes oficiais.

A iniciativa partiu hoje dos dirigentes da Frente Unida para a Democracia e contra a Ditadura, a plataforma cívica cujos membros se distinguem por suas chamativas camisetas coloridas e que organiza as manifestações que completaram duas semanas.

O apelo dos manifestantes surgiu depois que o próprio primeiro-ministro do país reiterou pela televisão sua disposição a negociar sem pressões e sempre que o protesto se mantiver afastado do quartel do 11º Regimento de Infantaria.

Vejjajiva instalou provisoriamente sua residência e seu escritório oficial nesse local no começo das mobilizações antigovernamentais, no dia 14 de março.

O número de "camisas vermelhas" que continuam o protesto diário em Bangcoc varia entre dez mil e 20 mil, mas aumenta substancialmente durante o fim de semana.

Cerca de 80 mil manifestantes percorreram neste sábado várias regiões da capital para aumentar a pressão sobre o Governo, ao qual qualificam de fantoche do Exército. EFE grc/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG