Primeiro-ministro nepalês amplia Governo com nomeação de 15 novos ministros

Katmandu, 31 ago (EFE).- O primeiro-ministro do Nepal e ex-líder da guerrilha maoísta, Pushpa Kamal Dahal, conhecido como Prachanda, ampliou hoje seu Governo com a nomeação de 15 novos ministros, entre eles seis do Partido Comunista do Nepal (CPN-UML), informou à Agência Efe uma fonte oficial.

EFE |

Lok Hari Pandey, membro do gabinete do presidente, disse que Bam Dev Gautam, pertencente ao CPN-UML, foi nomeado vice-primeiro-ministro do Governo e ministro do Interior.

O CPN-UML não se uniu ao Executivo parcial formado em 22 de agosto, porque não tinha chegado a um acordo com os maoístas para ocupar o segundo posto no Governo, algo que ocorreu hoje.

Os novos membros do Governo, entre eles quatro mulheres, juraram hoje seus cargos diante de Prachanda, em cerimônia na qual estava presente o presidente nepalês, o madheshi Ram Baran Yadav.

Dos ministros nomeados hoje, seis pertencem ao CPN-UML, seis aos maoístas e três a partidos minoritários.

Deste modo, no novo Executivo, formado por 23 ministros, dez ministérios estão sob o controle dos maoístas, seis pertencem aos comunistas, quatro ao Fórum Madheshi e três aos grupos minoritários.

Prachanda foi eleito primeiro-ministro no último dia 15 com os votos a favor na Assembléia de seu partido, do Fórum Madheshi e alguns outros grupos minoritários, enquanto o Partido do Congresso Nepalês, do ex-primeiro-ministro Girija Prasad Koirala, assumiu a oposição.

Em 22 de agosto, assumiram seus cargos os ministros maoístas Baburam Bhattarai (ex-número dois da guerrilha), novo ministro de Finanças; Ram Bahadur Thapa, da Defesa; Dev Prasad Gurung, da Justiça, e Krishna Bahadur Mahara, da Informação e Comunicação.

O ministério da Defesa é essencial no momento em que o processo de paz no Nepal entra na fase de integração dos 20 mil membros da antiga guerrilha maoísta no Exército.

O Fórum Madheshi assumiu o Ministério de Exteriores, com Upendra Yadav; do Trabalho e Transporte, com Bijay Kumar Gachhadar; da Agricultura, com Jaya Prakash Gupta; e da Educação e Esportes, com Renu Kumari Yadav.

Após a eleição de abril, a Assembléia Constituinte declarou a República em 28 de maio e pôs fim a quase 240 anos de Monarquia, um passo decisivo do processo que começou com um acordo de paz com a guerrilha maoísta, em novembro de 2006. EFE ms/fh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG