Hezbollah toma oeste de Beirute e nega Golpe de Estado http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/10/primeiro_ministro_do_libano_diz_que_nunca_declarara_guerra_ao_hisbola_1305922.html target=_blankPrimeiro-ministro diz que nunca declarará guerra ao Líbano" / Hezbollah toma oeste de Beirute e nega Golpe de Estado http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/10/primeiro_ministro_do_libano_diz_que_nunca_declarara_guerra_ao_hisbola_1305922.html target=_blankPrimeiro-ministro diz que nunca declarará guerra ao Líbano" /

Primeiro-ministro libanês pede que Exército retire militantes armados das ruas da capital

O primeiro-ministro libanês, Fuad Siniora, pediu neste sábado ao Exército que imponha a segurança no país e retire imediatamente os homens armados das ruas. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/09/hezbollah_toma_oeste_de_beirute_e_maioria_denuncia_golpe_de_estado_1305465.html target=_topHezbollah toma oeste de Beirute e nega Golpe de Estado http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/05/10/primeiro_ministro_do_libano_diz_que_nunca_declarara_guerra_ao_hisbola_1305922.html target=_blankPrimeiro-ministro diz que nunca declarará guerra ao Líbano

AFP |

"Peço ao Exército que imponha a segurança para todos e em todas as regiões e retire os homens armados das ruas imediatamente", declarou Siniora em um discurso pronunciado na sede do governo.

Trata-se do primeiro pronunciamento do primeiro-ministro desde que o Hezbollah tomou o controle esta semana do oeste da capital, ao término de violentos combates contra partidários da maioria parlamentar.

"Solicitei ao comando do Exército que proteja a paz civil", ressaltou Siniora.

Prometeu que "o Estado libanês não cairá", e denunciou as ações armadas do Hezbollah xiita no oeste de Beirute.

"A democracia foi apunhalada no coração, mas o Estado libanês não cairá frente aos golpistas", assegurou Siniora.

"Não declaramos guerra ao Hezbollah e não vamos fazê-lo. Mas suas milícias e as do Amal invadiram casas e bairros de Beirute e não vamos tolerar isso", acrescentou.

Defendeu que "o recurso à força não é a solução" e considerou que o melhor caminho ainda é "o diálogo".

Siniora pediu também que o Exército ponha fim aos protestos da oposição organizados pelo Hezbollah no centro de Beirute, que já duram desde o final de 2006.

Leia mais sobre: Líbano

    Leia tudo sobre: líbano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG