Lima, 3 jul (EFE).- O primeiro-ministro peruano, Yehude Simon, afirmou hoje que deixará o cargo nas próximas semanas porque o país precisa de oxigênio e tranquilidade, ao mesmo tempo em que reiterou que todos os ministros apresentaram sua renúncia ao presidente do Peru, Alan García.

"Quero que o próximo premiê, que deve chegar nas próximas semanas, encontre o país tranquilo para que possa ter tempo suficiente de desempenhar bem sua função", disse Simon em declarações ao canal local "N".

Simon e seu gabinete apresentaram sua renúncia após os violentos fatos do dia 5 de junho na Amazônia peruana, que terminaram com a morte de 24 policiais e 10 civis.

O primeiro-ministro e a responsável pela pasta do Interior peruano, Mercedes Cabanillas, chegaram a ter sua censura votada pelo Congresso no último dia 30. A decisão do Legislativo acabou por favorecer a ambos. EFE mmr/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.