Primeiro-ministro de Israel entregará pedido de renúncia

JERUSALÉM - O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, entregará neste domingo seu pedido de renúncia ao presidente Shimon Peres, confirmou a assessoria de Olmert.

Reuters |

Mas o primeiro-ministro, envolvido em um escândalo de corrupção, poderá permanecer no cargo por algumas semanas ou meses, até que um novo governo seja formado.

Olmert, que pode ser indiciado por corrupção, disse no começo da reunião semanal do gabinete de governo que está deixando o cargo 'em conformidade com a boa governança' e a história vai julgar as realizações de sua administração.

A continuidade da incerteza política no país prejudicou até as perspectivas de um acordo de paz israelo-palestino que os Estados Unidos esperavam fosse firmado este ano por Olmert e o presidente palestino, Mahmoud Abbas.

Em um comunicado, a assessoria de Olmert informou que ele iria se reunir com Peres na casa do presidente às 13h30 no horário de Brasília, 'para lhe entregar sua carta de renúncia'.

Depois da renúncia, Olmert se tornará primeiro-ministro interino até que seja formado um novo governo em Israel, por meio de um acordo de coalizão ou antecipação das eleições.

Olmert foi substituído na quarta-feira pela ministra de Relações Exteriores, Tzipi Livni, como líder de seu partido, o Kadima, em uma eleição interna. Essa mudança aumentou as chances de ela se tornar a primeira mulher no cargo de primeiro-ministro do país, desde Golda Meir, que ocupou ou posto na década de 1970.

Leia mais sobre: Olmert

    Leia tudo sobre: olmert

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG