Primeiro-ministro da ANP acredita em criação de Estado palestino em 2 anos

Jerusalém, 22 jun (EFE).- O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Salam Fayyad, afirmou hoje que confia que os palestinos terão um Estado num prazo de dois anos.

EFE |

Em discurso na Universidade Al Quds, em resposta às declarações feitas por seu colega israelense, Benjamin Netanyahu, na semana passada, Fayyad recorreu à unidade palestina como caminho para alcançar a independência e disse que espera que isso ocorra "no máximo em dois anos".

Para isso, chamou todos os palestinos a "se unirem em torno do projeto de estabelecer um Estado e fortalecer suas instituições, de modo que o Estado palestino seja realidade no final do próximo ano ou no máximo dentro de dois anos".

Fayyad lembrou, além disso, da reivindicação de que Jerusalém Oriental, onde vivem mais de 200 mil palestinos, seja a capital desse futuro Estado.

"Jerusalém Oriental será a capital de nosso futuro Estado independente", afirmou o primeiro-ministro, em uma clara resposta a Netanyahu, que, em seu discurso da semana passada, assegurou que a cidade santa não será compartilhada.

Fayyad qualificou o discurso de "vago" e "pouco comprometido com a solução de dois Estados", fixada na conferência de Annapolis de 2007, que retomou o processo de paz durante quase um ano, embora não tenha chegado a uma solução.

As negociações foram interrompidas no final de 2008, com o adiantamento das eleições em Israel, que elegeram Netanyahu.

Em linha com a política do presidente da ANP, Mahmoud Abbas, Fayyad expressou sua oposição à retomada das conversas, até que Israel se comprometa a interromper a construção nas colônias judias na Cisjordânia.

"Acho que esta reivindicação é mais urgente depois que Netanyahu evitou o consenso internacional que exige de Israel o cumprimento de suas obrigações", afirmou. EFE elb-amg/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG