Primeiro suspeito no caso Madeleine aceita indenização

LONDRES - O primeiro suspeito oficial do desaparecimento de Madeleine McCann em Portugal, Robert Murat, aceitou uma indenização por acusação da British Sky Broadcasting (BSkyB) a ele durante a cobertura do caso da menina britânica.

EFE |

O acordo econômico, que não foi revelado, foi alcançado hoje no Tribunal Superior de Londres, apesar de Murat não estar presente na audiência judicial, informou a imprensa britânica.

AFP

Madeleine McCann está desaparecida desde 2007

O advogado de Murat, Louis Charalambous, argumentou à corte que um artigo e um vídeo postados no site da "Sky News" diziam que o comportamento de seu cliente lembrava o de Ian Huntley, o assassino das meninas britânicas Holly Wells e Jessica Chapman, ocorrido no Reino Unido em agosto de 2002.

O artigo sugeria que Murat, inglês de 34 anos, havia enganado os jornalistas ao atuar como representante da Polícia durante as investigações sobre o caso da menina, desaparecida em maio de 2007.

A representante da BSkyB, Victoria Shore, indicou que, além de pagar a indenização e assumir as despesas legais de Murat, a empresa pede desculpas pelas falsas acusações contidas na informação e a angústia causada.

As desculpas permanecerão no site da entidade durante os próximos 12 meses.

Ano passado, a Polícia portuguesa considerou Murat e os pais da menina - Kate e Gerry McCann - suspeitos do desaparecimento de Madeleine, mas a medida foi suspensa há alguns meses. 

Leia mais sobre Madeleine McCann 

    Leia tudo sobre: madeleine mccann

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG