Primeiro palestino é morto desde início da trégua em Gaza

O Exército israelense matou nesta quinta-feira um palestino no sul da Faixa de Gaza, a primeira vítima desde que entrou em vigor uma trégua entre o Hamas e Israel em 19 de junho, informou o Exército hebreu.

AFP |

"Por volta das 03h00 (21h00 de Brasília), uma patrulha militar identificou um suspeito que atravessava uma barreira entre Gaza e Israel, próximo a Kisufim. Os soldados pediram que parasse, mas ele não obedeceu e os soldados abriram fogo na sua direção e o mataram", indicou um porta-voz militar.

"Quando se aproximaram do corpo constataram que não estava armado", indicou o porta-voz, explicando que houve várias tentativas de colocar explosivos nessa parte da fronteira.

Trata-se do primeiro palestino a morrer alvejado pelo Exército israelense em Gaza desde a instauração de uma trégua no dia 19 de junho entre Israel e o movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza, graças à mediação do Egito.

Já na Cisjordânia, que não está incluída na trégua, as forças de segurança israelenses mataram na quarta-feira outro palestino que seria ligado ao Hamas, informou o Exército em um comunicado divulgado nesta quinta-feira.

"O indivíduo, Talal Sa'ad Talal Abed, sofreu ferimentos críticos e recebeu tratamento médico no local dos fatos, mas morreu a caminho do hospital" após ter sido alvejado, indicou o texto.

"Abed, de 32 anos, morador de Kafr Dan, era membro da infra-estrutura terrorista do Hamas no povoado; uma infra-estrutura que tentou enviar um suicida a Israel", acrescentou o comunicado.

"Após a tentativa frustrada, vários membros da célula foram presos pelas forças de segurança palestinas. Apesar disso o grupo continuou envolvido em atividades terroristas, e planejava um ataque terrorista iminente", acrescentou o comunicado.

O texto divulgado pelo Exército israelense assegurava que a célula recebia "instruções de líderes terroristas" da Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas.

Pelo menos 526 pessoas morreram, quase todas palestinas (em sua maioria membros de grupos armados), desde que foram retomadas as negociações de paz entre israelenses e palestinos no final de novembro de 2007 em Annapolis, Estados Unidos, segundo um registro estabelecido pela AFP.

pfm/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG