Primeiro dia de festival ambiental questiona ação humana na natureza

As produções exibidas no primeiro dia de projeções do Festival Internacional de Cinema Ambiental (Fica), nesta quarta-feira, abordam temas e situações diferentes, mas com uma preocupação em comum: o impacto da adaptação da natureza pelo homem.

AFP |

No documentário italiano "Proibido respirar" ("Vietato respirare"), de Ricky Farina, Pietro Menditto e Diego Fabricio, o público é transportado para a sufocante situação dos moradores de algumas cidades da região da Campânia, sul da Itália, que sofre com o problema do lixo.

"A mensagem do filme é esta: o lixo é um problema global, e se as pessoas não mudarem sua maneira de consumir e viver, o mundo todo vai ficar coberto de lixo", diz à AFP Pietro Menditto, que está em Goiás Velho para o festival.

Em Nápoles, capital da Campânia, o problema começou quando um dos lixões que atendia a cidade foi fechado pela prefeitura, que não construiu outro local para receber os detritos. Pelas ruas da cidade, cobertas por montanhas de lixo e infestadas de ratos, as pessoas protestam: "Estamos, desesperados, estamos desesperados!".

"A reciclagem não interessa às empresas de coleta, porque elas incineram o lixo para gerar eletricidade", explica Menditto. "Eu sou de Nápoles, mas moro em Milão (norte da Itália), e lá as pessoas simplesmente se recusam a enxergar o problema, não querem ver que o jeito como vivem colabora para que isto aconteça".

No longa-metragem "Corumbiara", Vincent Carelli investiga a ação de fazendeiros de Rondônia, que para desmatar a floresta amazônica dizimaram tribos indígenas isoladas que habitavam a região. Em 1985, o indigenista Marcelo Santos denunciou a situação e Carelli fez imagens das aldeias abandonadas, mas os fazendeiros negaram tudo e o caso caiu no esquecimento.

No documentário, que concorre ao principal prêmio da mostra competitiva do Fica, o cineasta volta à região e encontra sobreviventes do massacre, que contam sua versão da história e confirmam a ação violenta dos fazendeiros.

"Eu estava andando por aí", responde no filme um dos índios, quando Carelli pergunta, com a ajuda de um intérprete, como ele sobreviveu ao ataque. "Quando voltei os corpos estavam em todo lugar", conta.

Ainda serão exibidos nesta quarta-feira os filmes "One water" ("Uma água") e "The end" ("O fim"), que abordam a questão da escassez de água, e "Dying in abundance" ("Morrendo em abundância") e "Au centre de la Terre, des puits et des hommes" ("No centro da Terra, poços e homens"), sobre o acesso de populações em desenvolvimento à comida e à água.

ap/ahg/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG