Primeira-ministra aceita condições de Yushchenko para salvar aliança

A primeira-primera ministra ucraniana, Yulia Timoshenko, se disse disposta nesta quarta-feira a aceitar todas as condições do presidente Viktor Yushchenko para recompor a coalizão pró-ocidental de governo e evitar eleições legislativas antecipadas.

AFP |

"Vamos aceitar, de olhos fechados, todos os ultimatos para preservar a orientação estratégica da Ucrânia, preservar o Parlamento e impedir que o país entre em uma nova crise", disse Timoshenko ao fim de um conselho de ministros.

O partido de Yushchenko rompeu em setembro a aliança com a formação de Timoshenko porque esta votou ao lado da oposição pró-russa uma série de leis que limitavam os poderes presidenciais.

Se a aliança não for renovada ou se outra coalizão não se formar até meados de outubro, o chefe de Estado ucraniano tem o direito de dissolver o Parlamento e convocar novas eleições legislativas.

Uma vitória dos partidos pró-Rússia acabaria com os esforços de Yushchenko para que a Ucrânia seja admitida como membro da Otan e da União Européia (UE).

ant/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG