PRI ressurge das cinzas e vence o PAN nas legislativas do México

CIDADE DO MÉXICO - O opositor Partido Revolucionário Institucional (PRI) ressurgiu das cinzas nas eleições legislativas do México no domingo com uma ampla vitória ante o Partido Ação Nacional (PAN, direita, no poder), que sofreu um voto de castigo na metade do mandato do presidente Felipe Calderón.

Redação com agências internacionais |

A vitória do PRI com 35,62% dos votos frente aos 27,19% do conservador PAN, com 66,68% dos votos apurados nas primeiras horas desta segunda, colocou de novo na corrida pela presidência em 2012, depois de ter governado o país por 71 anos e perdido o poder em 2000.


Partidários do PRI comemoram vitória no México / AP

"Reconhecemos e felicitamos essa primeira minoria (maioria relativa) do PRI na nova Câmara de Deputados", afirmou na noite de domingo Germán Martínez, presidente do PAN ao reconhecer a derrota de seu partido.

De seu lado, a presidente do PRI, Beatriz Paredes, afirmou que seu partido se situa agora "como a primeira força política na Câmara de Deputados".

Os "priistas" voltarão a controlar as Câmara de Deputados, que perderam em 2006 quando apenas conseguiram ocupar 104 das 500 cadeiras, enquanto que o PAN obteve 206 vagas na mesma eleição, na qual o presidente Calderón chegou ao poder.

Calderón perde força

O resultado ruim do Partido Ação Nacional (PAN) complica os projetos de reforma econômica de Calderón, que precisará do apoio da oposição na câmara baixa do Congresso.

A economia mexicana deve afundar mais de 6% este ano, em grande parte devido à recessão nos EUA, enquanto a produção de petróleo, um pilar para o financiamento do governo, está caindo rapidamente.

Calderón, aliado do presidente norte-americano Barack Obama na luta contra os cartéis de drogas no México, pediu ao Congresso que trabalhe com ele.

"A rivalidade deve ser deixada para trás, e agora devemos concentrar os nossos esforços para encontrar um campo de consenso para alcançar os acordos que o país precisa para recuperar o crescimento econômico, a criação de empregos e a segurança pública", disse Calderón num discurso à nação.

Eleições no domingo

O governo mexicano submeteu no domingo ao julgamento do eleitorado sua política de combate ao narcotráfico, marcada pela mobilização de milhares de militares, que se converteu em seu principal argumento para retomar terreno antes das eleições legislativos.

Depois de confirmada a derrota eleitoral, o presidente Felipe Calderón pediu para preservar o papel do Estado no combate contra a deliquência organizada, o eixo central de sua administração.

As eleições transcorreram sem incidentes e a participação foi de apenas 43,7% dos eleitores, dos quais 5,97% corresponderam a cidadãos que decidiram anular seuvoto, depois de uma forte campanha de organizações para negar o voto aos partidos como uma forma de castigo pelo descrédito dos políticos ante a população.

* Com AFP e Reuters

Leia mais sobre eleições no México

    Leia tudo sobre: eleiçõesméxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG