O governo chinês afirmou que a previsão de fortes chuvas na província de Sichuan, atingida pelo terremoto do dia 12 de maio, é uma ameaça grande para a região. Segundo o ministro dos Recursos Hídricos, o volume de água poderia provocar uma inundação nos lagos que ser formaram com os deslizamentos de terra causados pelos tremores e romper as barragens.

De acordo com ele, milhares de engenheiros estariam trabalhando e equipes de reconstrução foram mobilizadas para reduzir os riscos.

Há preocupação de que o mau tempo possa atrasar a construção de abrigos temporários para os 5 milhões de desabrigados por causa do alto nível de água.

Segundo a agência de notícias Xinhuam 34 lagos se formaram na região por causa dos tremores. Destes, oito comportam 3 milhões de metros cúbicos de água sozinhos e um deles, na região de Tangjiashan, dobrou de tamanho em apenas quatro dias.

A agência informou ainda que o governo enviou equipes com explosivos para abrir uma espécie de canal para controlar o fluxo de água no lago e prevenir sua inundação.

Réplica
A região de Sichuan sofreu neste domingo outro tremor. A réplica atingiu 5.8 graus de magnitude e foi sentida também em Pequim.

Segundo a TV estatal, uma pessoa morreu e 400 ficaram feridas depois que a réplica foi registrada. Além disso, o tremor causou a destruição de milhares de edificações.

O número oficial de vítimas do terremoto que atingiu o sul do país é de cerca de 63 mil pessoas e o total de desaparecidos chega a 23 mil.

No sábado, o premiê chinês Wen Jiabao afirmou que o número de mortos pode chegar aos 80 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.