PLAYA DEL CARMEN, México (Reuters) - O número de mortos pelo terremoto do dia 12 de janeiro no Haiti poderia aumentar para 300 mil quando forem incorporados à contagem os corpos que ainda se encontram debaixo dos escombros, disse neste domingo o presidente da nação caribenha René Préval. Os Estados Unidos estimaram que mais de 200 mil pessoas haviam morrido no devastador terremoto de magnitude 7 que destruiu a capital haitiana, Porto Príncipe, e ainda deixou 1,5 milhão de pessoas sem abrigo, que agora sofrem com as fortes chuvas.

Um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) revelou na semana passada que o governo haitiano havia divulgado 230 mil mortos no dia 10 de fevereiro.

"Mais de 200 mil corpos foram recolhidos das ruas faltando os que ainda estão debaixo dos escombros, talvez chegaremos aos 300 mil mortos", disse Préval durante uma cúpula de presidentes do México e de nações caribenhas no balneário mexicano de Playa del Carmen.

O custo de reconstruir o Haiti poderia chegar aos 14 bilhões de dólares, o que o transformaria no desastre natural mais destrutivo dos tempos modernos, segundo economistas do BID.

Os líderes do Haiti afirmam que, apesar dos dezenas de milhões de dólares de ajuda que foram enviados desde o terremoto, ainda não receberam quantidade suficiente de barracas de campanha, lonas e estruturas de habitação temporária aos sobreviventes.

(Reportagem de Miguel Angel Gutiérrez)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.