Pressionado pelo Senado, premiê haitiano pode perder cargo amanhã

Porto Príncipe - O Senado do Haiti vai interpelar amanhã o primeiro-ministro do país, Jacques Edouard Alexis, três dias depois ter pedido a renúncia do chefe de Governo em decorrência das violentas manifestações registradas recentemente.

EFE |

Uma interpelação do Senado obriga o primeiro-ministro a se apresentar aos legisladores, que, segundo meios de comunicação locais, estão "decididos" a tirar Alexis do cargo.

"O primeiro-ministro (Alexis) terá de fazer uma grande exposição aos senadores para permanecer no posto, já que a maioria o culpa pelos recentes eventos (no país)", disse hoje à Agência Efe um dos integrantes do Senado.

De acordo com a Constituição haitiana, o primeiro-ministro do país é obrigado a renunciar se uma das duas câmaras do Parlamento lhe retira o apoio.

Depois que uma explosão de violência nas ruas do Haiti causou cinco mortes, deixou dezenas de feridos e provocou saques a lojas e indústrias, a atual situação na capital Porto Príncipe e em outras cidades é de aparente calma.

Para garantir a segurança, a Polícia haitiana e as tropas da Missão da ONU para a Estabilização do Haiti (Minustah) continuam nas ruas em número maior.

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG