A polícia do Panamá prendeu o colombiano David Murcia Guzmán, presidente da empresa DMG, suspeita de lavagem de dinheiro do narcotráfico no caso das pirâmides financeiras que abala a economia da Colômbia.

Guzmán será deportado para a Colômbia, onde a justiça determinou a prisão dele e de seis diretores da DMG sob as acusações de lavagem de dinheiro, enriquecimento ilícito, captação excessiva de dinheiro e formação de quadrilha.

O governo da Colômbia determinou na segunda-feira a liquidação da empresa DMG.

As autoridades suspeitam que a companhia era responsável por lavar recursos do narcotráfico por meio do esquema fraudulento das 'pirâmides financeiras', que prometiam lucro de até 300% com o dinheiro de novos clientes até quebrar.

Dezenas de empresas do tipo entraram em colapso semana passada, o que provocou cenas de violência e desespero de clientes em busca do dinheiro.

axm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.