Manágua, 29 jun (EFE).- Os chefes de Estado e de Governo do Sistema de Integração Centro-Americana (Sica) definiram hoje em Manágua diversas medidas para restabelecer a normalidade democrática em Honduras que preveem o isolamento do Governo de fato de Tegucigalpa.

Entre as medidas estão a retirada de embaixadores e a suspensão de todo contato diplomático.

As decisões estão contidas em uma declaração que foi lida pelo presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, durante a 25ª reunião do Sica.

Os líderes do Sica fecharam acordo para estabelecer medidas políticas imediatas, como a chamada para consultas de seus embaixadores credenciados no Governo de Honduras, algo que já começou a ser feito por alguns Governos, como o de El Salvador.

Os dirigentes do Sica declararam que a entidade não reconhecerá nenhum Governo em Honduras que tenha surgido desta ruptura constitucional.

O chefe de Estado deposto, Manuel Zelaya, foi retirado do poder e do país de maneira forçada por militares neste domingo e destituído pelo Congresso, que nomeou o seu então presidente, Roberto Micheletti, para o cargo máximo do Executivo hondurenho no mesmo dia. EFE fm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.