Presidentes de Brasil e Peru pedem liberdade para seqüestrados na Colômbia

COLÔMBIA - Os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Peru, Alan García, fizeram coro neste domingo ao clamor dos colombianos pela libertação de cerca de 3.000 reféns.

Redação com AFP |

Reuters
Lula e presidente do Peru pedem que reféns sejam soltos

Depois do término do desfile militar em ocasião da celebração do 198º aniversário da Independência da Colômbia, realizado na cidade fronteiriça do sudeste do país, os dois presidentes lançaram seus apelos pela liberdade dos seqüestrados.

"Só uma palavra. De um poeta brasileiro que uma vez escreveu uma frase muito bonita sobre a liberdade. Ele gritava: 'liberdade, liberdade nos abrace, liberdade, liberdade nos abrace, liberdade, liberdade para todos", disse Lula em português.

Em seguida García teve a palavra. Ele mencionou os anos em que viveu exilado na Colômbia e disse: "que tenha fim a horrível noite, que se abra o caminho da vitória do povo colombiano e de seu projeto independente de liberdade".

Os colombianos realizaram neste domingo grandes marchas em mais de 1.000 cidades e povoados do país para exigir a libertação de cerca de 3.000 seqüestrados.

García e Lula presidiram com seu colega colombiano Alvaro Uribe a parada militar em ocasião da festa Nacional da Colômbia, realizada este ano nesta cidade localizada na fronteira com Brasil e Peru.

Os três mandatários também assistiram ao início de um grande show da cantora pop colombiana Shakira e de seu compatriota Carlos Vives.

O presidente brasileiro concluiu neste domingo em Leticia uma visita oficial à Colômbia iniciada na sexta-feira à noite em Bogotá.

Ingrid Betancourt abre evento em Paris

AP
Betancourt pede paz em Paris
Entoando o hino nacional da Colômbia, ao lado dos cantores Juanes e Miguel Bosé, a ex-refém das Farc, Ingrid Betancourt, iniciou neste domingo à tarde em Paris um grande show em favor dos reféns ainda mantidos em poder de grupos armados na selva colombiana. O evento faz parte das manifestações organizadas em várias cidades do mundo.

"Bom dia Colômbia", disse Betancourt ao começar seu discurso pronunciado em espanhol diante de cerca de oito mil pessoas, entre as quais um grande número de colombianos, em um palco no qual eram exibidos os retratos de dezenas de pessoas que ainda estão em poder da guerrilha colombiana das Farc.

Betancourt se referiu em particular à festa nacional da Colômbia, que é celebrada neste domingo, e ao significado do local onde foi realizado o show, os jardins de Trocadero, junto ao qual "há 60 anos foi assinada a Declaração Universal dos Direitos Humanos", lembrou.

Depois, a franco-colombiana libertada pelas Farc no dia 2 de julho, pediu aos participantes que atuem pela paz e pela liberdade na Colômbia, e enviou uma mensagem ao líder da guerrilha, Alfonso Cano. "Chega de seqüestros, chega de seqüestros", disse.

O prefeito de Paris, o socialista Bertrand Delanoe, agradeceu a presença e a mobilização dos parisienses pela libertação de Ingrid Betancourt e lembrou que "o dever dos franceses é continuar lutando pela libertação de todos os reféns na Colômbia".

Leia mais sobre: Farc

Leia também

    Leia tudo sobre: colômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG