declaração contundente sobre Honduras - Mundo - iG" /

Presidentes da Alba divulgarão declaração contundente sobre Honduras

Manágua, 29 jun (EFE).- Os presidentes da Aliança Bolivariana para as Américas (Alba) estão preparando uma declaração contundente sobre o respeito aos direitos políticos, sociais e econômicos do povo hondurenho, informou hoje a porta-voz do Governo da Nicarágua, Rosario Murillo, esposa do presidente Daniel Ortega.

EFE |

Rosario informou que os presidentes da Bolívia, Evo Morales, e da Guatemala, Álvaro Colom, chegaram hoje à Nicarágua para brindar o apoio ao governante hondurenho, Manuel Zelaya, destituído no domingo pelo Congresso de seu país.

Morales está no país para participar do segundo dia da reunião urgente da Alba, instalada nesta madrugada em Manágua, para processar a restituição imediata e incondicional do presidente Zelaya em seu cargo.

"Nós, os centro-americanos, devemos dar apoio incondicional ao presidente (Manuel) Zelaya", disse Colom, em breves declarações à imprensa, em sua chegada a Manágua.

Morales tinha chegado pouco antes ao país, mas não deu declarações aos jornalistas no aeroporto.

Rosario, em declarações ao "Channel 4", canal de TV que apoia o Governo, disse que "hoje mesmo todos os chefes de Estado do Sistema de Integração Centro-Americana (Sica) estarão em Manágua para rejeitar a barbárie" ocorrida em Honduras.

Informou, ainda, que o líder do México, Felipe Calderón, é esperado hoje em Manágua, em seu caráter de presidente pro tempore do Grupo do Rio, integrado por 23 nações latino-americanas.

Rosario afirmou que Calderón chegará acompanhado pela chanceler de Honduras, Patricia Rodas, que partiu de seu país para o México durante a madrugada e "a quem vamos receber de braços abertos".

O porta-voz da Nicarágua confirmou que o presidente da República Dominicana, Leonel Fernández, também chegará a Manágua.

Desde ontem, estão em Manágua os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Equador, Rafael Correa, países integrantes da Alba junto a Antígua e Barbuda, Bolívia, Cuba, Dominica, Honduras, Nicarágua, e São Vicente e Granadinas.

"Manágua se transforma hoje na capital da democracia, em um momento em que se está travando uma batalha fundamental para que se garanta o retorno à ordem constitucional em Honduras e a restituição imediata do presidente Manuel Zelaya", disse Rosario. EFE fm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG