Presidente uruguaio diz a militares que não acertará contas com o passado

Montevidéu, 2 mar (EFE).- O presidente do Uruguai, José Mujica, disse hoje que carrega uma mochila nas costas, em referência à época em que era guerrilheiro e aos 13 anos que passou preso, mas que não pretende acertar as contas com o passado agora que chegou ao poder.

EFE |

O governante fez a declaração diante de representantes das Forças Armadas, durante o discurso que preparou para a posse do novo ministro da Defesa, Luis Rosadilla, também ex-guerrilheiro do Movimiento de Libertação Nacional (MLN-Tupamaros) e que foi presos durante a ditadura militar que governou o Uruguai entre 1973 e 1985.

"Não gostamos de viver do passado. Amanhece todos os dias. A vida começa. Sempre estamos começando, a vida é vivida com coragem e para frente", afirmou Mujica.

"Cada um terá que carregar sua mochila, mas as mochilas não são para acertarmos contas quando é preciso construir. Por isso hoje isto é muito simbólico, extremamente simbólico", acrescentou o presidente, que era ouvido pelos chefes das Forças Armadas e por ministros, líderes da oposição, legisladores, empresários e sindicalistas. EFE jf/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG