Presidente turco realiza visita histórica a Bagdá

O presidente da Turquia, Abdullah Gül, chegou nesta segunda-feira a Bagdá, na primeira visita em 33 anos de um chefe de Estado turco ao Iraque, onde abordará a questão dos separatistas curdos do PKK e a distribuição de água.

AFP |

Gül chegou à tarde e foi recebido, junto com sua esposa, pelo curdo Jalal Talabani e sua mulher, na residência do chefe de Estado iraquiano em Bagdá. Em um raro gesto entre líderes turcos e curdos, os dois se cumprimentaram com um abraço e um beijo.

Durante o primeiro encontro entre os governantes, o principal tema mencionado foi a questão dos guerrilheiros curdos do PKK. E o representante iraquiano apoiou a postura de seu colega turco.

"O PKK tem duas opções: ou entrega as armas ou abandona o Iraque", assegurou Talabani em uma coletiva de imprensa conjunta com Gül.

Segundo uma fonte curda, o primeiro-ministro do Curdistão autônomo iraquiano, Nechirvan Barzani, viajou de Erbil a Bagdá para se reunir com Gül.

O último presidente turco a visitar o Iraque foi Farhi Koroturk, em 1976.

A Turquia acusa os curdos iraquianos, que gozam de autonomia em relação a Bagdá, de tolerar e, inclusive, ajudar os rebeldes separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Mas as relações bilaterais melhoraram recentemente e as autoridades curdas iraquianas afirmam estar dispostas a ajudar a Turquia a lutar contra o PKK.

Centenas de militantes do PKK se abrigam no Curdistão iraquiano, de onde atacam o território turco. A aviação turca efetua regularmente operações contra esse grupo.

O PKK iniciou uma luta armada em 1984 no sudeste da Turquia pela independência da região, que já deixou pelo menos 44.000 mortos.

Gül e Talabani também discutirão a questão da água.

A construção por parte das autoridades turcas de represas nos rios Tigre e Eufrates reduz consideravelmente o volume desses rios em sua passagem pelo Iraque.

Segundo a ONU, "a construção de novas represas e de reservas nos países vizinhos do Iraque poderá provocar uma diminuição das águas que representa 76% do volume anual dos rios Tigre e Eufrates".

As autoridades turcas e iraquianas também deverão falar do futuro de Kirkuk, província do norte do Iraque rica em petróleo e disputada por curdos, turcomanos e árabes.

kat/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG