Presidente tcheco considera impossível ratificar Tratado de Lisboa

Praga, 2 jul (EFE).- O presidente da República Tcheca, Vaclav Klaus, considera impossível continuar com a ratificação do Tratado de Lisboa, segundo um comunicado divulgado hoje pela Presidência tcheca.

EFE |

"O presidente da República, Vaclav Klaus, mantém sua opinião de que não é possível continuar hoje com a ratificação do Tratado de Lisboa", afirmou na declaração um porta-voz presidencial.

O chefe de Estado tcheco mostrou apoio à postura do presidente polonês, Lech Kaczynski, que disse ontem que não tinha sentido ratificar o documento, já aprovado pelo Parlamento, devido à difícil situação criada após o "não" no plebiscito realizado na República da Irlanda.

A França, país que exerce a Presidência rotativa da União Européia (UE), fez da ratificação do documento um tema prioritário durante este semestre.

Klaus considera a "postura do presidente Kaczynski sobre o Tratado de Lisboa muito razoável e próxima à sua", acrescenta o texto.

Praga tinha previsão de ratificar o documento até 2009, quando a República Tcheca assumirá a Presidência semestral da UE.

Após o "não" da Irlanda, o chefe do Executivo de coalizão tcheco, Mirek Topolanek, disse que o tratado não entrará em vigor em 1º de janeiro de 2009, mas nem por isso a Presidência tcheca da UE terá menos valor. EFE gm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG