Presidente taiuanês espera recuperação econômica mediante laços com a China

Taipé, 3 dez (EFE).- A China é a chave para a economia taiuanesa e as próximas negociações com Pequim, com o qual vive tensões diplomáticas há 50 anos, se concentrarão na cooperação econômica, disse hoje o presidente taiuanês, Ma Ying-jeou, em entrevista por rádio.

EFE |

A ilha espera que a China negocie a entrada de Taiwan em organismos internacionais, mas ainda não recebeu nenhuma notificação a respeito, disse o porta-voz presidencial Wang Yu-chi, em entrevista coletiva.

O representante do presidente taiuanês na recente cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), Lien Chan, disse na sexta-feira, ao chegar a Taiwan, que o presidente da China, Hu Jintao, estava disposto a negociar a entrada de Taiwan na Organização Mundial da Saúde (OMS).

O líder taiuanês está consciente da dificuldade em alcançar acordos políticos com a China, devido à grande distância entre as posturas de Pequim e Taipé sobre a soberania da ilha, que a China considera parte de seu território, mas espera uma maior cooperação econômica.

"O comércio com a China alcançou a marca histórica dos US$ 130 bilhões, e o comércio exterior é a chave tradicional do crescimento econômico de Taiwan, com uma contribuição de até 75%", disse Ma, em entrevista à "Rádio Internacional de Taiwan".

As próximas negociações com a China serão sobre "a assinatura de um memorando de entendimento sobre cooperação financeira, um pacto de luta contra o crime e, possivelmente, um pacto de proteção de investimentos", acrescentou o presidente.

Ma declarou que tanto Taipé quanto Pequim estão de acordo em deixar de lado os temas conflituosos, intensificados durante o mandato do ex-presidente taiuanês Chen Shui-bian, para impulsionar a cooperação econômica e a estabilidade. EFE flp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG