Presidente sul-coreano concede anistia a empresários para reativar economia

O presidente sul-coreano, Lee Myung-Bak, concedeu anistia a 342.000 condenados, entre eles vários chefes de empresas, para fortalecer a unidade nacional e promover a economia, indicou nesta terça-feira um comunicado da presidência.

AFP |

O aniversário da liberação da Coréia da ocupação japonesa, em 15 de agosto de 1945, é tradicionalmente a ocasião de uma anistia presidencial coletiva.

Entre as personalidades beneficiadas está o presidente do maior fabricante de automóveis sul-coreano Hyundai, Chung Mong-Koo, cuja pena de três anos de prisão por corrupção foi comutada, em setembro, por uma pena condicional e trabalhos comunitários.

A anistia também beneficiou o presidente do grupo Hanwha, Kim Seung-Yun, condenado por seqüestro e violências contra empregados de um bar, assim como o presidente de outro conglomerado, SK Group, Chey Tae-Won, condenado por compra e venda ilegal de ações e fraudes contábeis.

"Esta anistia só reforçará a sensação popular de que os ricos sempre ganham, independentemente do que falam", afirmou o principal partido da oposição, o Partido Democrático, em um comunicado.

ckp/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG