Presidente sul-africano se casa com uma terceira esposa

O presidente sul-africano Jacob Zuma celebrou nesta segunda-feira, aos 67 anos, seu quinto casamento, em uma festa tradicional em seu povoado natal, convertendo-se assim no marido de três mulheres, depois de ter se divorciado de uma e ficado viúvo de outra.

AFP |

A cerimônia de "udendwe", que corresponde a apresentação da noiva aos anciões e aos espíritos dos antepassados, aconteceu em Nkandla, na província de KwaZulu Natal (leste).

AP
O presidente Jacob Zuma e suas três mulheres

Essa cerimônia é o último passo para um processo iniciado há dois anos, quando Jacob Zuma pagou o dote para pedir a mão de Tobeka Madiba, mulher que tem 30 anos que ele e com quem já teve três filhos.

Desde o pagamento do dote, Tobeka Madiba era considerada companheiro oficial do chefe de Estado e, nessa situação, assistiu em maio passado a cerimônia na qual Zuma prestou juramento como novo presidente da África do Sul.

Madiba assistiu à cerimônia junto com as outras duas esposas do presidente: Sizakele Khumalo, que Zuma conhece há 50 anos e com quem se casou em 1973, e Nompumelelo Ntuli, de 35 anos, com quem contraiu casamento há dois anos.

Há seis meses, as três primeiras-damas acompanha o presidente em visitas e cerimônias oficiais.

Jacob Zuma já foi casado com a ex-ministra das Relações Exteriores, Nkosazana Dlamini-Zuma, de quem se divorciou em 1998. Mesmo separados, mantiveram-se amigos e Zuma a nomeou para o ministério do Interior.

AP
Jacob Zuma dança com a mulher Thobeka Madiba durante cerimônia de casamento

Além disso, o chefe de Estado é viúvo de Kate Mantsho-Zuma, que se suicidou em 2000.

Na África do Sul se sobrepõem dois sistemas legais: o direito comum familiar proíbe a poligamia, mas o direito tradicional permite que um homem tenha várias esposas.

"Muitos políticos têm amantes e filhos que escondem, fingindo se monogâmicos. Eu prefiro ser honesto, amo minhas esposas e estou orgulhoso de meus filhos", declarou certa Zuma, que reconheceu seus 18 filhos.

Segundo a imprensa local, o presidente pensa em casar mais uma vez. O Sunday Times afirmou que Zuma participou na semana passada de uma cerimônia de 'umbondo' (intercâmbio de regalos) com os pais de uma nova namorada, Bongi Ngema.

A poligamia do chefe de Estado desatou uma polêmica durante a campanha eleitoral, quando Zuma foi tachado de machista e de conservadorismo social.

Mas antes disso, em 2006, Zuma desencadeou a fúria das associações feministas do país durante um processo por estupro de uma jovem soropositiva, do qual foi considerado inocente.

Ante o tribunal, o agora presidente reconheceu ter mantido relações sexuais sem proteção com a jovem, e assegurou que ela o havia provocado com suas roupas sumárias.

Disse também que, depois das relações, tomou um banho para se "lavar do vírus" da Aids.

Leia mais sobre: África do Sul

    Leia tudo sobre: casamentojacob zumapoligamiaáfrica do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG