Presidente sudanês ironiza ordem de prisão em discurso na Etiópia

Adis-Abeba, 21 abr (EFE).- A ordem de prisão emitida contra mim não afeta meus movimentos e atividades nem os de nenhum funcionário de meu Governo, disse hoje o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, em Adis-Abeba na Comissão Bilateral Sudão-Etiópia, que também ressaltou a melhora nas relações com os Estados Unidos.

EFE |

Bashir é acusado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) de crimes de guerra e de lesa-humanidade por crimes cometidos durante o conflito armado de Darfur, no oeste do Sudão, que deixou mais de 300 mil mortos desde fevereiro de 2003.

O presidente sudanês, que também se reunirá com representantes da União Africana (UA) na capital etíope, afirmou em entrevista coletiva que a ordem de captura internacional não afetou as relações do Sudão com os demais países africanos.

"Os senhores podem ver como o povo sudanês me apoiou espontaneamente", disse Bashir, afirmando que recebeu o mesmo forte apoio do Governo etíope e da UA.

Tanto a UA quanto a Liga Árabe rejeitaram a ordem de prisão contra Bashir e pediu ao Conselho de Segurança da ONU que use suas prerrogativas para adiá-la.

"O Sudão é nosso vizinho e nossas relações não foram afetadas pela emissão de uma ordem de prisão internacional", disse o primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, na mesma entrevista coletiva.

Retomando a palavra, Bashir disse também que a relação entre Sudão e EUA melhorou com o Governo de Barack Obama, incluindo a recente visita do senador democrata John Kerry, presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado americano. EFE mc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG