Beirute, 29 set (EFE) - O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse que o norte do Líbano se tornou uma base de extremistas e um risco para a Síria, informou hoje a imprensa libanesa.

Segundo veículos de comunicação libaneses, que anteciparam trechos de uma entrevista de Assad ao jornal de Beirute "Al Bairak", que será publicada amanhã, o presidente sírio disse que as políticas incorretas aplicadas no norte do Líbano aumentam a "violência terrorista".

A entrevista foi divulgada no mesmo dia em que pelo menos quatro pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas em um atentado cometido com um carro-bomba na cidade de Trípoli, norte do Líbano.

Além disso, Assad fez estas declarações depois que, no sábado, um carro-bomba matou 17 pessoas e feriu outras 14 em Damasco, em um atentado cuja autoria foi atribuída pelas autoridades sírias a grupos salafistas procedentes do exterior do país.

Por outro lado, o presidente sírio destacou que a visita do chefe de Estado libanês, Michel Suleiman, à Síria em meados de agosto permitiu "abrir uma nova página nas relações" entre os dois Estados, capazes de superar as divergências do passado.

Assad destacou ainda que as relações entre Líbano e Síria "não poderão melhorar se um terceiro Estado intervir", sem dar mais detalhes. EFE ks/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.