TEERÃ (Reuters) - O presidente sírio, Bashar al-Assad, parabenizou Mahmoud Ahamadinejad nesta quarta-feira por sua reeleição como presidente do Irã, e condenou a interferência externa no Estado islâmico, informou a agência oficial de notícias Irna. Assad, cujo país é um aliado próximo do Irã, é um dos primeiros líderes estrangeiros a visitar Teerã desde que Ahmadinejad venceu a eleição presidencial. Os oponentes, de linha moderada, afirmam que a disputa foi fraudulenta, mas as autoridades iranianas rejeitam as alegações.

"Vim aqui hoje para pessoalmente transmitir meus parabéns a você e à nação iraniana", disse Assad a Ahmadinejad, de acordo com a Irna. "Acredito que o que aconteceu no Irã foi um grande evento e uma grande lição para estrangeiros".

Ahmadinejad e seus aliados acusaram potências ocidentais, particularmente os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, de incitar protestos após a votação que mergulhou o Irã em sua pior crise interna desde a Revolução Islâmica, em 1979.

"O presidente sírio, em seu encontro com o presidente iraniano, condenou a interferência de países estrangeiros nos assuntos internos iranianos", informou a Irna.

De acordo com a agência, Assad falou: "O principal motivo para a interferência do Oeste é bloquear as frequentes vitórias do Irã e da Síria".

"Estou confiante que a reeleição do presidente pela nação iraniana é uma confirmação de que o Irã e a Síria devem continuar suas políticas anteriores na região".

(Reportagem de Hossein Jaseb e Reza Derakhshi)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.