Presidente salvadorenho critica decisão de Chávez de não ir à cúpula

San Salvador, 26 out (EFE) - O presidente de El Salvador, Elías Antonio Saca, qualificou hoje de pretexto a suposta falta de segurança pessoal alegada pelo governante venezuelano, Hugo Chávez, para não comparecer à 18ª Cúpula Ibero-Americana.

EFE |

Saca assegurou plenas garantias de segurança para os presentes ao encontro, que ocorrerá na próxima semana em San Salvador, depois que Chávez desistiu de comparecer ao evento porque, segundo disse, sua vida "não está garantida".

O presidente salvadorenho acrescentou ainda que, até hoje às 10h (14h em Brasília), o presidente venezuelano não comunicou oficialmente que não assistirá à cúpula.

No sábado, Chávez disse que suspendia sua "viagem a El Salvador à Cúpula Ibero-Americana porque minha vida não é garantida".

"Há uma série de informações" sobre um suposto plano para atentar contra a vida do líder venezuelano preparado por ex-militares do país protegidos "por alguns Governos centro-americanos" além de "pela CIA" (agência de inteligência dos Estados Unidos).

O presidente da Venezuela afirma que o líder opositor e governador do estado venezuelano de Zulia, Manuel Rosales, estaria por trás do complô.

O governante salvadorenho considerou que as declarações apontam simplesmente que o presidente venezuelano "procura pretextos" para não participar da cúpula.

Saca disse que El Salvador "é um país responsável" e que o plano de segurança "é um tema fundamental para garantir a vida e a integridade dos chefes de Estado e de suas delegações".

O governante pediu aos demais líderes que confirmaram presença "para que venham à cúpula com toda a tranqüilidade" A 18ª Cúpula Ibero-Americana ocorrerá de quarta a sexta-feira da próxima semana no Centro Internacional de Feiras e Convenções de San Salvador com o tema central de "Juventude e Desenvolvimento". EFE chm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG