Presidente russo promulga a ampliação do mandato presidencial

O presidente russo Dimitri Medvedev assinou nesta terça-feira a reforma constitucional que amplia o mandato do chefe de Estado de quatro para seis anos, permitindo sua entrada em vigor a partir das próximas eleições de 2012, informou o Kremlin.

AFP |

A reforma foi concluída em um tempo recorde, em menos de dois meses, levando em conta que Medvedev lançou o processo no início de novembro.

Desde então, as duas câmaras do parlamento adotaram a revisão, assim como as 83 entidades administrativas que integram a Federação da Rússia.

O presidente alegou que a reforma, à qual se opuseram apenas os parlamentares comunitas, facilitará a estabilidade russa.

Especulou-se, no entanto, que a medida pode favorecer a volta ao Kremlin, por mais tempo que sua primeira permanência (2000-2008), do atual primeiro-ministro Vladimir Putin, que não pôde disputar um terceiro mandato consecutivo conforme proibido pela Constituição.

Putin, no entanto, já excluiu uma eleição presidencial antecipada antes de 2012, embora tenha mantido o suspense sobre sua eventual candidatura.

"Não vamos começar a nos agitar sobre o que acontecerá em 2012. Veremos quando chegarmos lá", acrescentou, ao ser questionado sobre sua eventual candidatura.

"Agora, cada um deve cumprir seu dever, no seu lugar", insistiu, qualificando sua associação com o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, de "eficiente".

Putin sempre deu apoio a esta revisão constitucional. "Seis anos para um país tão complexo do ponto de vista étnico é uma decisão justificada".

    Leia tudo sobre: russiarússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG