Presidente russo ataca tentativas de reabilitar Stalin

O presidente russo, Dmitry Medvedev, atacou aqueles que tentam reabilitar a memória do ex-líder soviético Joseph Stalin em um vídeo publicado no site do Kremlin nesta sexta-feira, 30 de outubro, dia nacional em homenagem aos mortos durante o regime stalinista (1924-1953). Estou convencido de que a memória das tragédias nacionais é tão sagrada quanto a das vitórias.

BBC Brasil |

Mesmo agora, você escuta que as grandes perdas teriam sido justificadas por algum tipo de objetivo superior do Estado", disse o presidente russo.

"O desenvolvimento de nenhuma nação, seu sucesso ou ambição não pode ser atingido ao preço de perdas humanas e sofrimento."
"O dia 30 de outubro é o dia que lembra milhões de vidas arruinadas, de pessoas mortas sem julgamento ou investigações, de pessoas enviadas a campos (de trabalhos forçados, os gulags) e ao exílio, despidas de seus direitos civis. Famílias inteiras foram rotuladas de 'inimigos do povo'", afirmou.

Putin
"Milhões de pessoas morreram por causa do terror e acusações falsas. Impedidas até de serem devidamente sepultadas e por anos seus nomes foram riscados da história."
Medvedev disse ser alarmante que muitos no país não tenham ideia destes acontecimentos.

"Há dois anos sociólogos pesquisaram e quase 90% de nossos cidadãos entre 18 e 24 anos de idade não sabiam dizer o nome de pessoas famosas que sofreram ou morreram nos anos de repressão. Isso preocupa."
O presidente russo alertou ainda sobre os perigos de revisar a história dos tempos da repressão.

"Precisamos aceitar nosso passado como ele é", afirmou.

O discurso de Medvedev contrasta com o movimento em voga no país de promover Stalin como um administrador eficiente que transformou a União Soviética em uma superpotência mundial.

No governo do ex-presidente e atual premiê, Vladimir Putin, livros didáticos fossem reescritos, destacando os feitos de Stalin.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG