provocações inadmissíveis sobre Abkházia - Mundo - iG" /

Presidente russo acusa Geórgia de provocações inadmissíveis sobre Abkházia

A tensão voltou a aumentar nesta quarta-feira entre a Rússia e a Geórgia em relação à Abkházia, região separatista pró-Moscou, quando o presidente russo, Dimitri Medvedev, acusou Tbilisi de provocações inadmissíveis contra as forças russas encarregadas da manutenção da paz.

AFP |

Em uma conversa telefônica nesta quarta-feira com o presidente da Geórgia, Mijail Saakashvili, Medvedev disse que a detenção de quatro soldados russos por parte dos georgianos era "uma provocação inadmissível".

"Medvedev afirmou que as provocações contra os militares russos encarregados da manutenção da paz, que cumprem sua missão por mandato internacional, são inadmissíveis", declarou o serviço de imprensa da presidência russa em um comunicado.

Quatro soldados russos foram presos na terça-feira na região de Zugdidi (nordeste da Geórgia), perto da Abkházia, com 20 mísseis antitanque.

Os soldados foram liberados, mas a Geórgia não devolveu as armas apreendidas para realizar uma investigação, afirmou à AFP o porta-voz do ministério georgiano do Interior, Chota Utiachvili. A Rússia reclamou a devolução dos artefatos nesta quarta.

"Mijail Saakashvili prometeu esclarecer este fato", informou o Kremlin.

"Os dois chefes de Estado expressaram sua convicção de que era indispensável manter o contato com o objetivo de solucionar os problemas existentes e desenvolver as relações bilaterais", conclui o comunicado.

Além disso, duas explosões de pouca potência ocorreram numa vía férrea nas cercanias de Sujumi, a capital abkházia, sem deixar vítimas, segundo um funcionário ferroviário local, Guram Gubaz, citado pela agência Ria Novosti.

As relações russo-georgianas se tornaram extremamente tensas nos últimos meses, sobretudo após a decisão de Moscou, anunciada em abril, de reforçar seus laços com as regiões separatistas georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul.

Em maio, a Rússia enviou mais algumas centenas de homens para integrar seu contingente na região, que já contava com cerca de 2.000 soldados desde a assinatura de um acordo de cessar-fogo nos anos 90.

A Geórgia acusa Moscou de querer anexar essas regiões. A Rússia, por sua vez, afirma que Tbilisi quer retomar essess territórios à força. Além disso, o projeto da Geórgia de aderir à Otan só azedou mais ainda as relações bilaterais entre russos e georgianos.

yh/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG