Presidente polonês diz que Rússia não reconhecerá tiros a comboio

Varsóvia, 24 nov (EFE).- O presidente polonês, Lech Kaczynski, disse hoje que é evidente que a Rússia nunca reconhecerá que suas tropas atiraram no comboio em que ele viajava ontem com seu colega georgiano, Mikhail Saakashvili, em direção à fronteira entre a Geórgia e a região separatista da Ossétia do Sul.

EFE |

Kaczynski também considerou "normal" que Moscou classifique o ocorrido como uma provocação da Geórgia, como afirmou o ministro russo de Relações Exteriores, Serguei Lavrov.

"Seria impensável o chefe da diplomacia russa confessar que seus soldados abriram fogo", afirmou o presidente polonês.

Lech Kaczynski insistiu que "houve tiros", embora pondere que talvez não fossem dirigidos contra os dois líderes.

Ninguém ficou ferido, embora Geórgia acuse as tropas russas de uma tentativa de agressão, enquanto estas negam qualquer envolvimento. EFE nt/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG