Presidente paraguaio seguirá alterando Corte Suprema de Justiça

Assunção, 17 fev (EFE).- O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, afirmou hoje que continuará mudando os membros da Corte Suprema de Justiça, que na véspera declarou a estabilidade de um de seus membros.

EFE |

"Este Governo não hesitará em seu esforço por promover uma justiça realmente independente como um tempo de mudança merece", disse em entrevista, quando, paradoxalmente, interfere na mais alta instância do Poder Judiciário de seu país.

Ele fez tais afirmações um dia após o Supremo ratificar em seu cargo a magistrada Alicia Pucheta, que havia solicitado estabilidade, em desafio ao Governo, que tenta renovar o órgão até março.

"A ausência de uma Justiça independente foi o estopim de todo um processo de 'libertação' do povo paraguaio de um passado sectário, consumado em 20 de abril", disse o presidente em alusão à data em que foi eleito, no ano passado.

"O desejo de um líder pela construção de uma justiça independente não é uma ingerência em outro poder do Estado, mas uma genuína obrigação constitucional", alegou.

Com a resolução da véspera, Pucheta poderá permanecer no posto até completar 75 anos, idade máxima para exercer o cargo. EFE rg/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG